Painel Tributário Ecovis® BSP n. 19

Painel Tributário Ecovis® BSP n. 19
Painel Tributário Ecovis® BSP -Tendências, decisões de impacto econômico e os principais acontecimentos, de maneira simples e direta, para quem tem pressa.
Por Mauricio Nucci, Rafael Maniero, Matheus Oliveira, Letícia Benozzati e equipe.

Câmara aprova retomada do voto de qualidade no CARF

A Câmara dos Deputados aprovou Projeto de Lei que prevê o retorno do voto de qualidade no âmbito do Conselho de Administração de Recursos Fiscais (CARF), órgão paritário composto por representantes da Fazenda Nacional e dos contribuintes. O voto de qualidade prevê que, em caso de empate dos julgados, prevalecerá o voto do presidente da câmara ou turma julgadora, uma posição ocupada exclusivamente por um representante da Fazenda Nacional.

De iniciativa do Governo, o Projeto de Lei aprovado pela Câmara comportou algumas alterações, entre elas a previsão de que, em causas decididas pelo voto de qualidade, o contribuinte pagará a dívida sem a inclusão de multa e não responderá por eventual processo criminal. Agora, o Projeto de Lei será analisado pelo Senado Federal.

CARF entende que crédito presumido de IPI compõe a base de cálculo do PIS e da COFINS

Em decisão recente, a 3ª Turma da Câmara Superior do CARF decidiu que os créditos presumidos de IPI compõem a base de cálculo do PIS e da COFINS. De acordo com o órgão, estes créditos, (que são uma espécie de incentivo às indústrias e exportadoras), possuem natureza de receita, razão pela qual deverão compor as bases do PIS e da COFINS a recolher.

A discussão no CARF tem por base a Lei n. 9.363, de 1996, segundo a qual as empresas produtoras e exportadores de produtos nacionais podem tomar crédito de IPI para se ressarcirem do PIS e da COFINS incidentes na aquisição de matéria-prima, materiais de embalagem e produtos intermediários que integrem o processo produtivo da mercadoria vendida. Ainda que o CARF tenha decidido sobre o assunto, vale destacar que o STF julgará definitivamente a matéria, por meio do Tema n. 504. Aos contribuintes, cabe aguardar a pacificação da matéria pela Suprema Corte.

Receita Federal reforça entendimento que reduz os créditos de PIS e COFINS

A Receita Federal do Brasil (RFB) publicou, no último dia 18, instrução normativa que prevê a exclusão do ICMS, ICMS-ST e IPI destacados na nota fiscal pelo fornecedor do cômputo de créditos de PIS e COFINS no regime não cumulativo. Trata-se da Instrução Normativa n. 2.152 (2023), que altera a Instrução Normativa n. 2.121 (2022) e consolida a legislação relativa às referidas contribuições sociais.

A instrução normativa possui caráter vinculante para a Administração e fiscalização tributária. A disposição não representa uma novidade, visto que o órgão já possuía entendimentos pretéritos que dispunham desta forma. No entanto, a instrução normativa consolida a posição do órgão no que diz respeito às normas que limitam o direito do contribuinte ao crédito para fins de não cumulatividade das referidas contribuições sociais.

Aos contribuintes que forem prejudicados pela redução dos créditos de PIS e COFINS, é possível o ajuizamento de discussão judicial para garantir a apuração com a incidência dos tributos. Atualmente, já existem decisões judiciais favoráveis aos contribuintes, mas o tema ainda levará tempo para ser concluído.

STJ discutirá a tributação de stock options

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) discutirá se a aquisição de Stock Options deve ser tributada como remuneração ao trabalhador e, portanto, passível de incidência de contribuições previdenciárias e imposto de renda, ou se serão tributadas como um contrato mercantil, incidindo imposto de renda sobre ganho de capital.

A prática, utilizada por muitas empresas para atrair e reter talentos, consiste na oferta de planos especiais de opções de ações, como forma de engajar os colaboradores no crescimento da companhia em que trabalham. Importante destacar que o STJ determinou à submissão do caso ao rito dos recursos repetitivos. Isso quer dizer que, o que for decidido pela Corte, deverá ser observado por todo o judiciário brasileiro, restando como exceção somente o STF.
 
Decisão de primeira instância afasta a incidência de PIS e COFINS sobre a taxa SELIC

O juízo da 2ª Vara Federal de Osasco (SP) determinou o afastamento do recolhimento das contribuições sociais ao PIS e à COFINS sobre a taxa SELIC em repetição de indébito tributário. Trata-se de decisão inédita, uma vez que apenas o IRPJ e a CSLL vêm sendo afastados pelo STF, conforme determinação da Corte Superior.

A decisão levou em conta o posicionamento do STF de que a taxa SELIC não se compreende no conceito de receita bruta ou faturamento, sendo mera recomposição do valor da moeda. Desta feita, a taxa SELIC proveniente da repetição de indébito tributário não se sujeita à incidência das contribuições que incidem apenas sobre a receita bruta ou faturamento, tampouco do IRPJ e da CSLL. Ao contribuintes que possuem créditos expressivos a serem restituídos, cabe avaliar a possibilidade de ajuizamento desta tese.

Parceria Vaz de Almeida Advogados

Últimas postagens

Newsletter

Preencha os dados a seguir para receber novidades por email

Serviços

Confira nossas áreas de atuação

BPO Financeiro

O BPO Financeiro consiste na terceirização de toda a rotina de recebimentos e pagamentos, incluindo a emissão de notas fiscais e bole...

Compliance Tributário

Trabalhamos com uma ampla rede de parceiros e softwares que permitem uma tratativa de ponta a ponta na gestão tributária...

BPO Recursos Humanos

Executamos todas as funções do departamento pessoal, fazendo a gestão do ponto, a orientação sobre os benefícios, entre outras ativid...

BPO Contábil

Oferecemos uma gama completa de serviços contábeis, incluindo consultoria, suporte, auditorias e geração de relatórios. Atuamos nos mais con...

BPO Fiscal

Nosso trabalho garante a conformidade fiscal, preservando a transparência e compliance das operações...

BPO Folha de pagamento

Utilizamos os mais modernos sistemas de gestão de folha de pagamento a fim preservar a segurança e acuracidade das informações. Operamos den...

Somos especialistas em diversos ERP's

Trabalhamos com os ERP’s mais requisitados do mercado.

Nosso blog

Confira nossos artigos e materiais de utilidades contábeis para você e sua empresa.

Caros clientes e parceiros,

Pedimos a atenção de todos para eventuais golpes utilizando o nome da nossa empresa!
A BSP NÃO realiza negociação de débitos ou emissão de boletos para quitação de dívidas em nome de bancos e instituições de crédito, nossos serviços limitam-se aos listados em nosso site único e oficial https://ecovisbsp.com.br/, na aba “Serviços”.

TODAS as comunicações da BSP Contábil são feitas através dos e-mails oficiais da empresa, sendo todos com o domínio “@bspcontabil.com.br” e/ou por meio dos números de telefone (19) 99455-5612 ou (19) 3871-9121.

Nunca pague boletos ou transfira valores que envolverem o nome da BSP sem antes conferir a procedência do documento em questão. Em caso de dúvidas, contate-nos antes de realizar qualquer pagamento.
Além dos telefones indicados acima, disponibilizamos o seguinte e-mail oficial: atendimento@bspcontabil.com.br.

Agradecimentos,